Migrando

Depois de muito tempo trabalhando e morando no campo, eu atualmente permaneco morando no campo, mas trabalho na cidade grande, o que me rende entre 1:30 a 2:00 diarias de transito e tedio, muito tedio.

Detesto ficar presa no carro – principalmente no congestionamento, que, alem de entendiante por ser repetitivo, e estressante. Parece que o transito desperta o pior em todas as pessoas, inclusive em mim. Assim, fico tentando pensar em alternativas para aproveitar melhor este tempo –  e ainda nao consegui pensar em muitas.

Ler nao e exatamente seguro e recomendavel, mas outro dia li um livro inteiro numa tarde de sexta-feira. A melhor alternativa neste sentido sao os audiobooks, mas a oferta em portugues  e escassa, e em ingles acabo me dispersando.

Atualmente em alguns dias tenho me maquiado no carro, mas tambem nao ocupa muito tempo, pois uso bem pouca maquiagem no trabalho. Outro passatempo que nao me entretem tanto assim, eque arrisca de me deixar deformada e fazer a sombrancelha.

Navegar na internet, por outro lado, me entretem muito – corro o serio risco de ser assaltada ou de bater o carro – portanto, evito. Mas, hoje eu pensei em outra alternativa, que comeco agora testar – a blogagem analogica. Explico: comecei a estruturar mentalmente este post – e arranjei um caderninho para rabiscar as ideias centrais, porque senao, ate chegar ao computador, ja esqueci tudo.

O problema, e que como boa ADHD, em meia hora de transito, este post nao acabou e se desdobrou em meia duzia. E, obviamente, chegou aqui completamente diferente da versao da Castelo.

Um pequeno texto ogro

Ontem eu falava sobre o dilema de retomar o Chrises ou comecar um novo blog. Venceu o carinho que eu tenho por este cantinho. Pelo nome que tanto me agrada, e que tanto fala de mim e de como funciona o ADDmiravel mundo da minha mente lunatica, mas tambem porque temos boas historias juntos.

Aqui eu  me reaproximei de gente que estava distante. Aqui eu transformei colegas de trabalho em familiares. Aqui eu fiz novas amizades (como a minha comentadora mais fiel J). Aqui eu dei acesso a muita gente proxima do meu coracao mas distante fisicamente ao que se passava no meu dia a dia e no meu mundinho. O Chrises fez parte intrinseca de um periodo importante e muito gostoso da minha vida. Com a gravidez e as nauseas, e depois as noites sem dormir, eu perdi o ritmo de escrever, o que me fez realmente falta.

Com tanta coisa bacana, por que trocar? Porque, se por um lado eu gosto da minha plateia cativa VIP, por outro, um blog atrai toda uma fauna de bichos inconvenientes: pessoas sem nocao, colegas de trabalho que se julgam mais intimos do                 que sao e outras categorias de stalkers.

Assim, eu proponho um manual de etiqueta para a blogosfera. Algo bem simples, como os 5 mandamentos da boa convivencia cibernetica. A comecar:

1 – Se voce vem me falar do meu blog e eu nao estendo o assunto, talvez este nao seja uma parte da minha vida que eu quero dividir com voce. Mas tambem pode ser so correria, TPM, ou algo assim.

2 – Se voce resolve voltar a tocar no assunto, e eu de novo me fizer de desentendida, pode ser que eu realmente nao queira falar deste meu hobby com voce, e, sim, eu ja entendi que voce tem acesso a ele, e que o le

3 – Reforcando o item 2, o mesmo vale para os comentarios do blog. Nao precisa faze-los ali para eu saber que voce esta lendo o que eu escrevo. Eu ja entendi.

4 – Sim, colegas de trabalho e outros seres de pouca intimidade. Eu tenho vida pessoal, e, surpreendentemente, ali eu nao me comporto da mesma forma que no ambiente de trabalho. Faco coisas diferentes, tenho um humor diferente, mas sim, sou eu mesma! Pode ate ser que eu venha a querer compartilhar estes lados da minha vida com voce (ou nao). Mas, certamente isto nao significa que eu va comecar a me comportar no trabalho como na vida pessoal, e nem acharei engracado voce trazer os meus comentarios pessoais, sarcasticos ou eventualmente pouco serios para reunioes de trabalho

5 – O fato de relatar eventos pessoais no meu blog nao me obriga a, a partir de agora, convidar todos os meus conhecidos para todos os eventos sociais da minha vida. Se voce soube pelo meu blog que eu recebi amigos em casa, ou sai com amigos, ou fiz um programa que nao te incluia, SE TOCA!

Aqui faco um disclaimer, caso eu tenha parecido o ser mais anti-social da face da terra por falar deste assunto no meu segundo post depois de uma eternidade sem escrever: eu tenho varios amigos que eu conheci pela internet. Um deles foi meu padrinho de casamento. Portanto, a intencao nao e afastar todas as pessoas, indiscriminadamente. Mas,  um pouco de senso critico e sempre bem vindo!

PS  – Uma hora eu ainda resolvo este teclado.

De volta. De volta??

Hoje me bateu a saudade de frequentar um cantinho. O primeiro impeto foi de criar um novo espaco, comecar uma pagina em branco. Mas, nao tem nome algum que reflita melhor o que eu sou, e o que me estimula  a escrever. Assim, Chrises permanece. Pelo menos por hora…

(e qualquer hora dessas eu consigo reconfigurar meu teclado!!)

Delicadezas

Ontem eu fui me consultar com uma médica pela primeira vez, por indicação de um grande amigo. Cheguei atrasada e esbaforida, em função de trânsito e outros pequenos transtornos, eu que sou sempre super pontual.

Ao fim da consulta, como era de se esperar, eu não estava muito bem. A médica, que já tinha me cativado pela sua delicadeza e sensibilidade ao longo da consulta, me conquistou de vez, quando, ao fim, enquanto marcávamos retorno, ela fazia receita e outras burocracias, me perguntou se eu não preferia ir embora direto e deixar para acertar a consulta depois, para não ter que parar na secretária.

Um gesto simples, mas carregado de empatia. Me comoveu de verdade.